Sim, vai ter Copa!
Ainda que manifestantes descontentes com os rumos da política do país desejem o contrário.
Também não foi a Fifa que obrigou o Brasil a sediar o Mundial.
Foi o Brasil, na figura de nossos representantes, quem quis. E por isso o pleiteou.
Em 2007, logo após receber das mãos de Joseph Blatter a taça da Copa, o então presidente Lula assegurou ao mandatário da entidade que o Brasil realizaria uma das maiores Copas do Mundo da história – quiçá a maior.
Naquele ano, segundo o Datafolha, 79% dos brasileiros, animados talvez com a ascensão da nossa economia, eram favoráveis à realização da Copa.
Dizia-se, na época, que os estádios seriam levantados com o dinheiro de entidades privadas, jamais público.
Houve quem acreditasse.
Como resultado, a falta de credibilidade, o povo nas ruas, sindicatos chamando às greves, tudo como ocorrido em junho passado, durante a Copa das Confederações.
As recorrentes denúncias de corrupção, no lugar do otimismo, trouxeram desesperança, sensação de desperdício e descaso com o nosso dinheiro.
Cidades-sede como o Rio, em meio ao caos de tapumes e outras tantas maquiagens, não apresentaram um terço das melhorias prometidas.
Pior: passaram a ter o custo de vida altíssimo – maior até que Paris.
E os estádios, antes orçados em R$ 4,8 bilhões, saíram por mais de R$ 8 bilhões, sob constantes acusações de superfaturamento.
Em face do exposto, é natural que há quem se rebele e amaldiçoe a competição.
Mas o bom-senso recomenda não misturarmos alhos com bugalhos.
Torcer contra a Copa, a esta altura, ou mesmo contra a seleção brasileira, em nada ajudará.
Dizem alguns que a vitória do Brasil ludibria o povo, como se fosse a taça o seu ópio.
Pode até ter sido. Já não é mais.
Dilma Rousseff não deixará de ser reeleita presidente se o Brasil perder. Nada garante também que vencerá a eleição se a seleção conquistar o hexacampeonato.
Bola e política até se misturam. Não por vontade da bola, que fique claro.
Duvido muito que metade dos jogadores da seleção brasileira saibam quem são os governadores do Rio e de São Paulo.
Suspeita reforçada pelo fato de 20 dos 24 convocados atuarem no exterior.
Então, que responsabilidade têm sobre a nossa realidade Thiago Silva, David Luiz, Marcelo, Daniel Alves, Oscar, Neymar e outros tantos jogadores convocados?
Em que contribuíram para que nossos hospitais públicos estejam vergonhosamente desassistidos?
Ou ainda para a nossa educação se mostre permanentemente caquética?
São crias nossas, estão irmanados com o povo. Querem é dar-lhe alegria. E algozes não fazem isso.
Não convém confundir, portanto.
Sim, vai ter Copa. E eu torcerei por eles.
Mas porque gosto de futebol. E, claro, porque o Brasil é minha terra-pátria.
Sempre muito gentil.

João Marcelo Garcez
Blog do Torcedor
João_Garcez

 

Comentários

comentários