No sensível e emocionante documentário brasileiro “Eu Maior”, depoentes de várias naturezas falam da importância de nos autoconhecermos e de sabermos como nos relacionar com o Universo.
Um deles, a atual candidata à presidência Marina Silva, disse que conhecemos realmente a qualidade de uma pessoa quando ela fala bem dos outros, e não de si.
Trazendo essa questão para a seara esportiva, vemos então, tal como ela é, a imprensa nacional.
Despreparada, maledicente, inconsequente.
Não são todos, claro, mas a classe de jornalistas esportivos do Brasil vem se deteriorando ano a ano, numa velocidade de espantar.
Eu mesmo, cansado de tanta superficialidade e leviandade, andei cancelando vários dos jornais que assinava.
Sobrou a Folha de São Paulo, mesmo sendo eu um cidadão natural do Rio de Janeiro, mas que prima pela excelência de seus artigos, pelo bom jornalismo – e isto a FSP oferece.
A última dos meus colegas (sim, também sou jornalista, embora exercendo atividades no ramo editorial, atualmente) foi vilanizar Luiz Felipe Scolari e Fred pela hecatombe da Copa do Mundo.
O técnico e o atacante foram os “eleitos” pela crônica “especializada”.
Transformaram-nos nos Barbosas da vez, muito embora o goleiro da Copa de 1950 tenha tido sua performance relativizada com a da equipe de 2014, o que lhe trouxe, tardiamente, a carta de alforria.
Um “vilão” sobrepõe o outro.
Nada é igual ao que passou – é pior.
Enxergo em vários jornalistas um desejo ardoroso de fazer sensacionalismo, promoção barata, às custas do rebaixamento de outrem.
Estão os dois agora – Felipão e Fred – sob o jugo de uma massa de manobra.
São vaiados, confrontados, hostilizados.
Pagam o preço de serem um dos únicos a seguirem trabalhando no Brasil (Victor e Jô são os outros, mas eram reserva na Seleção).
O que querem?
Fazer da Copa e de seus personagens uma interminável narrativa dramática, gênero que pressupõe tragédia?
Taquem-nos às feras, parecem dizer os arautos da crônica esportiva.
Embora, desnudados como vimos, sejam eles as próprias bestas do apocalipse.

Joao Garcez_Blog_do_TorcedorBlog do Torcedor – João Marcelo Garcez

 

Comentários

comentários